Como funciona o seguro-fiança
Garantias

Como funciona o seguro-fiança

02/04/2020 Por 5 minutos de leitura

Quem opta pelo aluguel direto com o dono geralmente utiliza o Seguro-fiança. Porém, mesmo assim, muita gente não sabe como esse tipo de garantia funciona. Então, se você é uma delas, vamos tentar tirar suas dúvidas!

Basicamente, o seguro-fiança é uma forma de garantia. Por isso, ele dispensa a necessidade de pagar a caução de aluguel ou de um fiador. A Lei do Inquilinato fala um pouco sobre o uso do seguro-fiança como garantia de aluguel. Para um contrato de aluguel residencial, essa é a garantia mais segura.

Quais são os documentos e informações solicitadas?

Para solicitar o seguro-fiança, o dono do imóvel preenche um formulário. Nele, informa o valor do aluguel, endereço do imóvel, duração do contrato, entre outras informações. Da mesma forma, o inquilino também precisa apresentar alguns documentos. Podem ser necessários CPF ou CNH, comprovante de residência e um comprovante de renda.

Qual a cobertura do seguro-fiança para aluguel residencial?

Basicamente, existem vários tipos de seguro-fiança. Desde os mais básicos e econômicos até os mais caros e complexos. Geralmente, os tipos mais básicos cobrem o que é essencial. Ou seja, coisas como:

  • 30 meses de aluguel em atraso;
  • Despesas do condomínio;
  • IPTU;
  • 6 meses de energia elétrica, água e gás;
  • Assistência residencial (chaveiro, reparos, etc);
  • Assistência jurídica.

Já a cobertura mais ampla inclui, além do que foi citado acima, outros adicionais. Isto é, serviços de reparo danos ao imóvel (após a vistoria de saída), pintura interna e externa e multa por rescisão de contrato.

Contudo, é sempre importante conversar com a corretora de seguros. Dessa forma, é possível verificar quais são as opções oferecidas por cada seguradora. A empresa vai ajudar a escolher a melhor opção para ambas as partes.

Quais são as taxas do seguro-fiança?

As taxas do seguro-fiança podem variar. Tudo depende da seguradora escolhida. Além disso, o que influencia é a pontuação do CPF do inquilino, o chamado “score”. Porém, no geral, o valor do seguro-fiança varia entre 1,2 a 2 vezes o valor do aluguel. 

Logo, se o inquilino tem um bom score e/ou a cobertura for básica, a taxa diminui. Da mesma forma, se o score for baixo e/ou a cobertura for mais ampla, a taxa aumenta. Assim sendo, a taxa pode variar entre 10% e 30%.

Geralmente, aplica-se a taxa sobre o valor total do contrato de aluguel. Então, vamos imaginar que a taxa seja de 15% e o valor do aluguel seja de R$1.000. Com a duração do contrato de aluguel sendo de 12 meses, o valor pago do seguro-fiança será de R$1.800.

 

Como funciona a cobertura do seguro-fiançaQuanto tempo dura a cobertura do seguro-fiança residencial?

O seguro-fiança dura o mesmo tempo que o contrato de aluguel. Ou seja: se o contrato for de 12 meses, o seguro também vai ser. Se o inquilino e o dono escolherem uma duração maior, como 30 meses, acontece a mesma coisa.

Como renovar o seguro-fiança para o mesmo contrato de aluguel?

O contrato de aluguel tem uma duração (12, 24 ou 30 meses). Quando o inquilino decide ficar por mais tempo, o contrato se renova por tempo indeterminado. Certo?

Nesse caso, quando o contrato estiver chegando ao fim, o corretor entra em contato para renovar o seguro. Por exemplo, digamos que o contrato de aluguel seja de 30 meses. Depois que o tempo passar e o aluguel chegar no final, o corretor entra em contato para renovar. Se o inquilino tiver interesse em continuar com o seguro, ele se renova por mais um ano.

Como pagar a renovação do seguro-fiança?

O pagamento da renovação do seguro-fiança vai depender de como foi realizado o pagamento no momento da contratação. Após a confirmação, a seguradora vai enviar os boletos dos próximos 12 meses.

Como funciona a aprovação do inquilino para o seguro-fiançaComo funciona a aprovação do inquilino?

Cada seguradora tem um banco de informações acerca de um CPF. Para ser aprovado, o inquilino precisa cumprir alguns requisitos. Primeiramente, a pontuação do CPF tem que ser boa. Isso porque a seguradora faz uma análise de crédito com o SERASA. Além disso, a empresa também pode fazer outros cruzamentos de dados.

O comportamento de gastos do inquilino é um fator bem importante. Por isso, ter renda alta nem sempre é suficiente. Se ele tiver dívidas ou parcelas grandes para pagar, provavelmente o seguro vai ser reprovado.

No entanto, se o CPF do inquilino for reprovado, ainda tem solução. A seguradora deixa que o inquilino tente a aprovação com um segundo CPF. Por exemplo: se for um casal que está alugando, os dois podem tentar.

Da mesma forma, um estudante geralmente não tem renda suficiente para ser aprovado. Nesses casos, pode ser utilizado o CPF dos pais para que o filho consiga o seguro.

 

Para finalizar

Como você viu, cada seguradora tem o seu próprio jeito. Por isso, o ideal é procurar as corretoras e entender quais são as opções disponíveis. O mais importante é saber que você tem essa opção mesmo no aluguel direto com o dono. E ainda, saber um pouco mais como funciona o seguro-fiança residencial nessa situação.

A Mellro tem a missão de proporcionar a melhor experiência para quem quer encontrar um imóvel para morar ou um inquilino. E ainda você pode fazer análise de CPF e negociar o aluguel usando um contrato eletrônico.


6 Comments

  • Melhor Ebook Como Aumentar Score disse:

    Grato por compartilhar seus conhecimentos, aprendendo cada dia mais e adorando conteúdo do blog. Adorando as dicas e sacadas.

  • jomara disse:

    aluguel um imóvel com o proprietário avisei que ia sair do imóvel com bastante antecedência e na hora de receber o deposito ele me falou que gastou o dinheiro…..foi uma experiência traumática para mim…agora prefiro alugar com imobiliária e seguro fiança……nem sempre o proprietário é honesto…..tem que ter garantia para os dois lados do negócio….

    • Wanessa Rengel disse:

      Olá Jomara!
      Obrigada por compartilhar a sua experiencia com a gente e lamento pelo que você passou. Eu também moro de aluguel há mais de 10 anos e já experimentei com imobiliária e sem imobiliária. E juntando a experiência que temos adquirido aqui com a Mell.ro eu posso dizer que há excessos tanto com imobiliária quanto com o proprietário. Além de perceber que nem todo inquilino segue as regras também.

      Na verdade, o mais importante é a gente conhecer os nossos direitos e ficar muito atento ao contrato que a gente assina ou usa para negociar.😉

      E é até para melhorar essas experiencias que a Mell.ro surgiu. Estamos lançando um produto que seja bom tanto para o inquilino quanto para o dono. Acreditamos que um bom negócio precisa ser bom para ambos os lados!

  • roberta de oliveira disse:

    Olá, gostei muito do texto informado, porém tenho uma pergunta :))

    eu moro de aluguel, comigo mora meu noivo e um amigo, porém, o aluguel aqui esta super alto, fizemos seguro-fiança, e estamos devendo um aluguel, pois não conseguimos pagar esse mes, estamos pensando em nos mudar, estamos aqui apenas 4 meses, e o contrato é de 30 meses.

    A questão é, vimos um lugar que seria perfeito pra nos, porem a forma de alugar, é seguro fiança também, nos podemos fazer outra seguro fiança, com outra seguradora, mesmo fechando o contrato com a outra imobiliria ?

    • Wanessa Rengel disse:

      Olá Roberta!

      Se o aluguel ainda não completou 30 dias de atraso, a seguradora ainda não foi acionada. Então, seria muito importante você conseguir pagar esse 1 mês o quanto antes ou tentar negociar esse pagamento.

      Se você conseguir, não vai ter problema nenhuma em contratar o seguro fiança para outro aluguel, mesmo que na mesma seguradora.

      Mas se a dívida continuar, a seguradora for acionada e continuar sem nenhuma negociação, pode acontecer da sua análise de crédito ficar prejudicada e acabar não sendo aprovada para um novo seguro-fiança.

      Espero ter te ajudado!

Você tem algum comentário, dúvida ou opinião? Conta pra gente!


Fique por dentro de tudo!

Quer ficar sabendo de todos os assuntos sobre o mundo de aluguel? Assine a nossa newsletter!

Fique por dentro
de tudo!

Textinho sobre os benefícios que a pessoa vai ter ao se tornar
assinante da nossa newsletter, como notícias sobre tudo etc.