Como funciona o seguro-fiança

Como funciona o seguro-fiança

O Seguro-fiança tem sido usado cada vez mais nos aluguéis direto com o dono. Apesar desse aumento na procura, muitas pessoas ainda não sabem como funciona o seguro-fiança. E se você é uma delas, espero que depois desse artigo as suas dúvidas sejam diminuídas.

Sendo uma das formas de garantia usada no aluguel de imóveis, o seguro-fiança substitui a necessidade de caução de aluguel ou de fiador. A Lei do Inquilinato 8245/91, no artigo 41, fala um pouco sobre o uso do seguro-fiança como garantia de aluguel. Entre todas as opções de garantia, essa é a mais segura e descomplicada para ser usada em um contrato de aluguel residencial.

 

Quais são os documentos e informações solicitadas?

O dono do imóvel preenche um formulário informando o valor do aluguel, endereço do imóvel, duração do contrato, valor do condomínio, IPTU, luz, água e gás. Já o inquilino apresenta cópias de alguns documentos, como RG, CPF ou CNH, comprovante de residência e um comprovante de renda (folha de pagamento, extratos bancários, decore…).

 

Qual a cobertura do seguro-fiança para aluguel residencial?

A cobertura mais básica geralmente vai cobrir: 30 meses de aluguel em atraso, condomínio (apenas despesas ordinárias) e IPTU. Cobre 6 meses de energia elétrica, água e gás. Inclui também assistência residencial com serviços como chaveiro, reparos que incluem mão-de-obra elétrica e hidráulica, dentre outros. Assim como assistência jurídica tanto na negociação dos valores em atraso junto ao inquilino até mesmo realizar o despejo caso não haja condições de negociação.

A cobertura mais ampla inclui as características da cobertura básica citada acima, além de adicionais como danos ao imóvel (após a vistoria de saída), pintura interna e externa e multa por rescisão de contrato.

Cabe aqui conversar com a corretora de seguros e verificar quais são as opções oferecidas por cada seguradora. Elas vão ajudar entender qual é a melhor opção para você, seja você dono do imóvel ou inquilino.

 

Quais são as taxas do seguro-fiança?

As taxas variam conforme a seguradora escolhida e a pontuação do inquilino, o chamado “score”. No geral, o valor do seguro-fiança varia entre 1,2 a 2 vezes o valor do aluguel. 

Logo, se o inquilino tem um bom score e/ou a cobertura for básica, a taxa diminui, e se o score for baixo e/ou a cobertura for mais ampla, a taxa aumenta. Assim sendo, a taxa pode variar de 10% à 30% ou mais. O dono e o inquilino que devem avaliar a melhor proposta.

A taxa geralmente é aplicada sobre o valor total do contrato de aluguel. Então, vamos imaginar que a taxa seja de 15% e o valor do aluguel seja de R$1.000,00. Com a duração do contrato de aluguel sendo de 12 meses, o valor pago de seguro-fiança será de R$1.800,00.

 

Conheça o seguro-fiança direto com o proprietário através da Mellro >>

 

Quanto tempo dura a cobertura do seguro-fiança residencial?

O seguro-fiança residencial dura o tempo que durar o contrato de aluguel.  Se as partes, dono do imóvel e inquilino, decidirem que o contrato vai ser de 12 meses, o seguro-fiança será de 12 meses. Se o contrato for de 30 meses, o seguro-fiança vai ser também de 30 meses.  

 

Como renovar o seguro-fiança para o mesmo contrato de aluguel?

Primeiro vou lembrar como funciona o contrato de aluguel. O contrato de aluguel tem uma duração (12, 24 ou 30 meses) e quando o inquilino decide ficar por mais tempo, o contrato de aluguel é renovado automaticamente por tempo indeterminado. Certo?

Nesse caso, quando estiver chegando o tempo estipulado no contrato de aluguel, o corretor entra em contato para renovar o seguro-fiança. Por exemplo, se o contrato de aluguel for de 30 meses, depois que o tempo passar e o aluguel chegar no mês 29 ou 30, o corretor entra em contato para renovar. E a partir de então, sendo confirmada a renovação, ela terá a duração de 12 meses a partir daí, sem necessidade de fazer nova aprovação de crédito.

 

Como pagar a renovação do seguro-fiança?

O pagamento da renovação do seguro-fiança vai depender de como foi realizado o pagamento no momento da contratação. Se foi parcelado, a seguradora, após a confirmação de renovação, vai enviar os boletos referentes aos próximos 12 meses.

 

Como funciona a aprovação do inquilino?

Cada seguradora tem um banco de informações acerca de um CPF. O CPF precisa ter um bom SCORE para ser aprovado. A análise que a seguradora faz inclui os dados de avaliação de crédito do SERASA, além do cruzamento de outros dados. Um inquilino pode ser negado para um imóvel e pode ser aprovado para outro. Ele pode ser recusado em uma seguradora ou aprovado com uma taxa maior pela outra.

Sabemos que um fator muito importante é o comportamento de gastos do inquilino. Possuir uma renda alta e que seja compatível com 3 a 4 vezes o valor do aluguel nem sempre é suficiente. Ou seja, se o inquilino tem mensalmente alguma parcela alta de financiamento ou consórcio, por exemplo, que compromete boa parte de sua renda ou toda ela, provavelmente será reprovado.

No entanto, se o CPF do inquilino for reprovado, a seguradora permite que adicione mais um CPF no contrato, para tentar uma aprovação. Por exemplo: se for um casal que está alugando, ambos podem submeter os seus CPFs e a seguradora analisa essa combinação de renda e comportamento de gastos para ser aprovado ou não.

Igualmente, há o exemplo de estudantes, que geralmente não tem uma renda suficiente ou não tem renda comprovada. Nesses casos, são informados os CPFs dos pais para que seja aprovado o cadastro do filho estudante.

 

Para finalizar

Você pôde ver como varia um pouco o jeito que cada corretora de seguro e seguradora funcionam e por isso o ideal é você procurar uma corretora e saber mais o que ela pode te oferecer. O mais importante é saber que você pode ter mais essa opção mesmo em uma situação de aluguel direto com o dono. E ainda, saber um pouco mais como funciona o seguro-fiança residencial para aluguel direto com o dono.

Além disso, o nosso aplicativo da Mellro permite que você contrate um seguro-fiança de forma mais rápida e em qualquer dia da semana. Nós criamos uma integração automatizada com as seguradoras e corretoras parceiras e assim você pode ter, em segundos, o resultado da análise. E para essa avaliação é preciso informar apenas o CPF e em segundos você já tem o resultado. E o melhor: você não paga nada a mais do que já pagaria para contratar o seguro-fiança e o uso do aplicativo é gratuito!

Quer saber mais? Fale com a gente ou baixe o aplicativo e veja como funciona!

Deixe seu comentário:

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Adicionar comentário: *

Name *

Email *

Website