Como rescindir um contrato de aluguel

Como rescindir um contrato de aluguel

Rescindir um contrato de aluguel nem sempre é fácil, até mesmo quando você aluga direto com o dono. Por isso, a Mellro reuniu algumas dicas para lhe ajudar nesse processo. Vejamos!

Primeiramente, é importante ter em mente que todo contrato de aluguel tem seus combinados, seu prazo e sua garantia. Essas informações devem ser levadas em consideração, pois são muito importantes na hora de rescindir.

Dessa forma, é importante analisar esses dados primeiro e depois seguir para as próximas partes. Vamos entender:

O prazo

O prazo de um contrato de aluguel precisa ser acima de 3 meses, podendo ser de até 30 meses, como previsto na Lei do Inquilinato. Geralmente, é realizado um contrato de 30 meses. Contudo, aluguéis direto com o dono costumam ter um prazo de apenas 12 meses. Apesar disso, o inquilino tem o dever de permanecer no imóvel, no mínimo, pelo tempo que está no contrato. Após esse tempo, o inquilino tem a possibilidade de romper o contrato sem pagar multa. Veja melhor:

  • Em um contrato de 12 meses, o inquilino tem o dever de ficar no imóvel por, no mínimo, 12 meses (salvo situações excepcionais);
  • Caso o inquilino decida quebrar o contrato de aluguel antes dos 12 meses, deverá pagar uma multa proporcional ao restante do período de 12 meses;
  • Se o inquilino desejar sair depois de cumprir os 12 meses, o inquilino tem a possibilidade de não precisar pagar a multa proporcional. Isso irá depender dos detalhes escritos no contrato de aluguel;

Já para o proprietário, ele pode pedir a rescisão do contrato em alguns momentos:

  • Para a sua ocupação ou ocupação de parentes próximos que não possuam imóvel residencial, sendo apenas considerados o cônjuge, pais, avós ou filhos;
  • Caso o inquilino quebre um acordo feito no contrato. Isso pode acontecer por diversos motivos, um exemplo disso são: reformas não autorizadas realizadas no imóvel pelo inquilino ou atrasos de pagamentos que podem levar ao despejo.

Quando o prazo for maior ou igual a 30 meses, no final desse prazo, o proprietário pode pedir o imóvel sem precisar apresentar as justificativas acima. Em contrapartida, para contratos com prazo menor de 30 meses, o proprietário fica refém do inquilino. Caso o proprietário deseje pedir o imóvel de volta, só é possível fazê-lo de acordo com as justificativas acima. Se não houver justificativas legais e o inquilino não tiver intenções de sair do imóvel, mesmo após o término do prazo estipulado, o proprietário só poderá obter o imóvel depois de 5 anos. 

Apesar dessa situação, segue a mesma lógica do contrato de 30 meses para as outras situações. O proprietário poderá solicitar o imóvel em caso de não cumprimento dos acordos do contrato. Assim como o inquilino poderá pedir a rescisão antes do período final do prazo, podendo acarretar em multa ou não. 

Logo, vale lembrar também que além da possibilidade da multa contratual, o inquilino também pode ficar refém de multas relacionadas às despesas do imóvel. Por exemplo, reformas e ajustes necessários, de acordo com a vistoria.

Você pode ter mais informações sobre prazos clicando aqui.

Calcule a multa ao rescindir um contrato de aluguel

Cálculo da multa

Como dito, calcula-se a multa proporcionalmente em relação ao prazo do contrato de aluguel. Dessa forma, define-se a multa com base a partir de 3 aluguéis e os meses restantes do contrato. Então vejamos:

Em um contrato de aluguel de 30 meses, o inquilino residiu apenas 6 meses e solicitou a rescisão do contrato. Sendo assim, faltariam 24 meses de aluguel para o fim do contrato.

Supondo que o valor do aluguel seja de R$1.500,00 e que a multa contratual seja equivalente a 3 meses de aluguel. Então o valor da multa seria de R$4.500,00. Portanto, cada mês do contrato de 30 meses, vale R$150,00. Por fim, para 24 meses, o valor a ser pago deverá ser de R$3.600,00. Veja com mais detalhes:

Valor do aluguel: R$1.500,00

Tempo do contrato: 30 meses

Tempo de permanência no imóvel: 6 meses

Multa contratual: equivalente a 3 meses de aluguel (R$1.500,00 x 3 = R$4.500,00)

Valor equivalente a cada mês do contrato: R$150,00 (R$4.500,00 ÷ 30 meses) 

Tempo a ser indenizado: 24 meses

Valor a ser indenizado: R$3.600,00 (R$150,00 x 24)

Os combinados 

Quando o inquilino aluga um imóvel direto com o dono, sempre ocorre o processo de negociação. Durante esse tempo, é possível que ocorra alguns combinados entre as partes que favoreça o negócio da locação. 

Portanto, é importante que esses acordos também sejam detalhados no contrato de locação. Assim, deverá verificar e certificar todos os acordos na hora de pedir a quebra do contrato.

Por exemplo, pode-se ter acordado, durante o período de negociação, que o inquilino se responsabilizaria de fazer uma nova pintura das portas do imóvel. Ou então, do inquilino arrumar o quintal ou a calçada. 

No caso de não cumprimento desse acordo, o dono poderá exigir que o inquilino cumpra antes da rescisão do contrato. Sendo assim, ele também poderá cobrar uma multa junto à vistoria de saída referente a não realização do acordo. 

A garantia

Deve-se também analisar a forma de garantia na hora de pedir a rescisão do contrato. Caso o inquilino tenha optado por caução, é necessário ver todos os procedimentos da utilização e devolução do valor da caução. Se o inquilino precisar pagar alguns débitos após a vistoria de saída, o proprietário poderá utilizar o valor da caução para realizar esse pagamento.

Caso a garantia seja o seguro fiança, o inquilino deverá solicitar para que, após a rescisão, seja cancelado o seguro. Além disso, algumas opções de seguro cobrem reparos e é possível acioná-lo para arrumar possíveis danos causados no imóvel e diminuir as dívidas finais da vistoria. 

Fique de olho na documentação ao rescindir um contrato de aluguel

Documentação 

Em seguida, é comum solicitar alguns documentos para a finalização da locação do imóvel. Esses incluem comprovantes de quitação dos encargos do imóvel, como das contas de água, luz, gás, condomínio, entre outros. 

O dono do imóvel também pode exigir a apresentação de documentos de identificação. Contudo, caso já tenha registrado no contrato de aluguel, não precisará necessariamente apresentá-los novamente. 

Desocupação

Primeiramente, é comum que o inquilino tenha um prazo de 30 dias para desocupar o imóvel. Contudo, caso haja algum problema, ele pode ser despejado sem aviso prévio. 

Antes da desocupação, é necessário realizar a vistoria de saída. Depois disso, o inquilino poderá entregar as chaves do imóvel. A entrega da chave é um processo importante, pois a partir desse momento, o inquilino não estará mais responsável pelas cobranças do imóvel, como água, luz, IPTU, etc.

 

Não precisa haver complicação na hora de rescindir um contrato de aluguel! Mas caso ainda tenha dúvidas, a Mellro sugere que você busque um profissional advogado especialista em assuntos imobiliários. Ele poderá analisar melhor as ocorrências e orientar de acordo.

Gostou desse assunto? Siga a Mellro nas redes sociais para não perder nada!



QUER RECEBER MAIS CONTEÚDO?



Compartilhe este conteúdo!
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin
Tweet about this on Twitter
Twitter

Artigos Relacionados

Feche negócio com um contrato de aluguel simples
Contrato de aluguel de imóvel simples

Na hora de alugar um imóvel, tanto para o proprietário quanto para o...

Direitos do inquilino quando o dono pede o imóvel
Direitos do inquilino quando o proprietário pede o imóvel

Existem situações em que o dono pode pedir o encerramento do contrato de...

Deixe seu comentário:

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Adicionar comentário: *

Name *

Email *

Website